Projeto Conselheiros da Escola

Projeto Conselheiros da Escola

Projeto de formação e treinamento de conselheiros para atuar em escolas ou creches, orientando professores, alunos e famílias em situações de conflito.

 

Instituições da sociedade civil e igrejas podem auxiliar escolas e creches no atendimento psicológico, de assistência social ou  jurídico, a professores, alunos e famílias.

A ideia central é  cooperar com as instituições de ensino na prevenção, diagnóstico e encaminhamento de situações de conflito na escola.

Apresentamos, a seguir, sugestões para a implementação do projeto:

 

  1. Princípios: a. simplicidade;  b. fortalecer o que já é feito.
  2. Objetivo: formar grupo de conselheiros da igreja ou instituição para atuar em escolas.
  3. Alvo: auxiliar os profissionais da educação a prevenir e lidar corretamente em situações de conflito e violência na escola.
  4. Temas:  1.conflitos na escola. 2.indisciplina. 3.abusos contra crianças. 4.como investigar situações suspeitas. 5.violência e negligência familiar. Na fase inicial sugiro dar ênfase ao tema mais importante para a escola, de preferência o que for solicitado pelos professores.
  5. Material didático para os conselheiros: textos disponíveis gratuitamente no blog infanciefamilia.com.br .
  6. Requisito de formação profissional para os conselheiros: na fase inicial de implantação do projeto, sugiro que o grupo de conselheiros seja formado por psicólogos, pedagogos, assistentes sociais, médicos ou advogados, profissionais que estão autorizados por lei a realizar aconselhamentos.

1º passo: identificar os profissionais que já são conselheiros, por profissão ou formação acadêmica.

2º passo:  reunir e definir uma escola específica a atender.

3º passo: conversar com a direção e com os professores da escola (um café da manhã é bem vindo), para apresentar a ideia de aconselhamento.

4º passo: treinamento dos conselheiros no tema sugerido pela escola.

  1. Tempo de dedicação do conselheiro: Uma manhã por mês. Para ficar bem claro o tempo de dedicação, sugiro estabelecer um período simples por mês, pois não vai onerar ninguém e será uma obrigação de fácil cumprimento.
  2. Local de atendimento:  na escola ou em visitas domiciliares.
  3. Secretária: se possível, seria bom ter uma secretária e número telefônico específico para contatos e agendamentos.
  4. Dica: o mais importante é conseguir o apoio dos professores. Se o grupo majoritário de educadores se interessar pelo projeto, tudo fica mais fácil.
  5. Treinamento dos conselheiros: o Dr. Guilherme Schelb se dispõe a treinar instituições ou igrejas interessadas.

Requisitos: haver um grupo de pessoas interessadas, uma instituição ou igreja cristã que coordene o grupo e uma escola ou creche que demonstre interesse no atendimento.

1 Comment

  1. Viviane Calazans
    dezembro 01, 09:07 Resposta

    Excelente material!
    Certamente me auxiliará muito.
    Obrigada por disponibilizar.

Deixe seu Comentário